Arquivo | Economia RSS for this section

Ibotirama:Prefeitura receberá mais de 1.205.952,90 oriundo da repatriação de recursos

A prefeitura de Ibotirama receberá nos próximos dias mais de 1.205.952,90, extras provenientes da transferência de recursos da repatriação. A Receita Federal informou  terça-feira (01/11), que o programa de regularização de ativos no exterior ou repatriação de recursos, trouxe de volta à economia brasileira R$ 169,9 bilhões, que serão distribuídos para Estados e Municípios.

Conforme informações da Confederação Nacional de Municípios (CNM), o valor repatriado é diferente do valor arrecadado; embora será de grande importância para os municípios brasileiros, onde a entrada desses recursos nas contas das dará oportunidade de os prefeitos pagarem os salários do final de ano, além de todos débitos com os fornecedores, podendo transferir a gestão com as contas em dia, sem nenhum débito para o próximo gestor.

O município de Ibotirama receberá um montante de R$ 1.205.952,90 (CONFIRA AQUI). Outras cidades da região também receberão esse dinheiro fora a arrecadação do mês: Muquém de São Francisco R$ 689.115,94, Oliveira dos Brejinhos R$ 1.033.673,91, Paratinga R$ 1.378.231,88.

Anúncios

Petrobras reduz preço do diesel e da gasolina; mudança vigora a partir de sábado

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira (14) uma redução no preço dos combustíveis, que entrará em vigor a partir da zero hora deste sábado (15). A redução será de 2,7% (média Brasil) no preço do diesel e de 3,2% (média Brasil) no preço da gasolina, na refinaria. Em 2009, a redução ocorreu em junho: a gasolina teve queda de 4% e o diesel, de 15%. O impacto da medida, tomada pelo Grupo Executivo de Mercado e Preços da estatal, no preço final dos combustíveis, dependerá da decisão dos redes e distribuidoras. Se a mudança for repassada integralmente, o preço ao consumidor final do diesel pode cair 1,8%, o equivalente a R$ 0,05 por litro. No caso da gasolina, a redução será de 1,4% ou R$ 0,05 por litro. A estimativa foi calculada pela petrolífera. A Petrobras informou em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM),  que “a decisão do grupo gestor levou em conta o crescente volume de importações, o que reduz a participação de mercado da Petrobras, e também a sazonalidade do mercado mundial de petróleo e derivados”. A companhia afirmou também que “a principal diferença em relação ao que ocorre hoje é o prazo para os ajustes em relação ao mercado internacional” e que “a nova política prevê avaliações para revisões de preços pelo menos uma vez por mês. É importante ressaltar que, como o valor desses combustíveis acompanhará a tendência do mercado internacional, poderá haver manutenção, redução ou aumento nos preços praticados nas refinarias”.

Após nova negociação, bancários decidem manter greve

A reunião da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) desta terça-feira (27) terminou sem acordo, e os bancários decidiram manter a greve. Uma nova rodada de negociações foir marcada para quarta-feira (28).

A greve dos bancários completou três semanas e já fechou quase 14 mil agências no país, segundo o último balanço da Contraf-CUT.

Coelba é notificada pelo Procon após cobrança de doações em contas

Na última sexta-feira (8), a Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-BA) atuou a Companhia de Eletricidade da Bahia (Coelba) por cobranças indevidas a consumidores em faturas de conta de energia, relativas a doações para instituições filantrópicas. Os valores das cobranças e os nomes das entidades filantrópicas não foram divulgados pelo órgão.A atuação do órgão teve início após o recebimento de  denúncias de consumidores informando que estavam recebendo suas faturas de energia elétrica, com a cobrança indevida de uma doação realizada, sem autorização do consumidor, para uma determinada instituição filantrópica que atua na Bahia. De acordo com o Procon, após enviada a notificação para a companhia não foram apresentados os esclarecimentos da situação. O fornecedor (a Coelba), responderá por processo administrativo e, depois da defesa e do contraditório, poderá ser penalizado, através de multa de R$ 400 a R$ 6 milhões. De acordo com o Diretor de Fiscalização do PROCON-BA, Iratan Vilas Boas, o consumidor não pode ser submetido a cobranças abusivas e nem receber serviços que não solicitou.”Para proporcionar um mercado de consumo mais seguro e harmônico, o PROCON-BA tem realizado o monitoramento constante em relação as condutas dos fornecedores “, assinala o Superintendente do órgão, Marcos Medrado. A Coelba terá 10 dias para apresentar a defesa. Procurada, a Coelba informou que recebeu a notificação no dia 23/02/2016  e que enviou resposta no dia 05/03/2016 através dos Correios. Sobre a cobrança indevida, a Coelba informou que possui contratos para arrecadação de itens na fatura de energia, prática que tem autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), através da resolução 581 que trata de atividades acessórias à distribuição de energia. Ainda segundo a fornecedora de energia, o débito referente aos convênios na fatura só é realizado mediante o consentimento do responsável pelo contrato. A empresa ainda disse que é possível o cancelamento pelo consumidor, através do serviço de atendimento 0800 071 0800.

Fonte:bahianoticias

Petrobras descarta ajustes nos preços da gasolina e do diesel

A Petrobras informou em nota, na segunda-feira (4), que “não há previsão, neste momento, de reajuste nos preços de comercialização de gasolina e diesel”.
De acordo com a Agência Brasil, a divulgação da nota ocorreu depois de notícias veiculadas no fim de semana sobre um possível anúncio da estatal de reduzir os preços da gasolina e do diesel.
No texto, a estatal diz que “avalia permanentemente a competitividade de suas práticas e condições comerciais”.
Fonte:bocaonews

Conta de energia elétrica deve ficar mais barata a partir desta sexta

Consumidores em todo o Brasil, que mantiverem o nível de gasto de energia elétrica, deverão ter uma redução na conta de luz em abril. É que a partir desta sexta (1º), o custo para produzir energia ficará menor, quando passa a vigorar a bandeira tarifária verde, sem cobrança extra na conta do consumidor para cobrir o custo maior de geração. A expectativa do Ministério de Minas e Energia é que a redução média na conta de luz fique entre 6% e 7%. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a bandeira tarifária é uma forma diferente de cobrar um valor que era incluído na conta de energia, no reajuste tarifário anual das distribuidoras.

A cor da bandeira indica o custo da energia para mais ou para menos, em função das condições de geração de eletricidade. Desde que foi implementado o sistema de bandeiras tarifárias, de janeiro de 2015 até fevereiro de 2016, a bandeira se manteve vermelha. Em março, passou para amarela. O aumento de chuva neste ano melhorou o volume dos reservatórios das hidrelétricas e, aliado à redução da demanda e à inclusão de novas usinas no sistema, possibilitou a mudança das bandeiras tarifárias nos últimos meses.

Com a alta dos reservatórios, foi possível fazer o desligamento – em março – das usinas termelétricas, que têm custo de geração mais alto. Isso também colaborou para a mudança da bandeira tarifária. A bandeira em vigor neste mês foi decidida esta semana em reunião da diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A mudança foi possível diante da simulação dos custos de geração e distribuição de energia elétrica e do superavit acumulado nos últimos meses nas contas do sistema de bandeiras. Da Agência Brasil.

Seu filho guarda dinheiro? Especialistas indicam opções de investimento

SÃO PAULO – Um leitor do InfoMoney mandou recentemente a seguinte pergunta: “Meu filho tem 8 anos e resolveu fazer um plano pra ficar rico quando crescer. Decidiu guardar 80% da mesada e outros trocados que ganha e gastar os outros 20%. Ele já tem conta no banco e pouco mais de R$ 100 da primeira mesada. Qual investimento seria o ideal pra ele?”

Os assessores de investimento responderam elogiando a iniciativa da criança e incentivando o pai a manter este espírito de educação financeira no filho.

O assessor Daniel Guedine Serafini, da Performance Invest, disse que para um prazo bastante longo como o desta criança, uma opção muito interessante são os títulos públicos atrelados à inflação (Tesouro IPCA+) de longo prazo. Estes títulos remuneram o investidor com uma taxa prefixada definida no momento da compra mais a inflação do período.

“As taxas estão em um patamar bastante alto. Esses títulos devem se valorizar mais que os outros quando a economia brasileira melhorar e os juros caírem”, acredita Serafini.

Os títulos públicos atrelados à inflação costumam ser muito indicados para quem quer fazer uma poupança de longo prazo, pensando na aposentadoria ou mesmo no futuro dos filhos. Isso porque eles unem a proteção contra a alta dos preços com a segurança de uma aplicação garantida pelo governo federal – o risco de crédito, portanto, é o menor do mercado.

O próprio site do Tesouro Direto (http://zip.net/bqrs5J– link encurtado e seguro) mostra simulações para quem quer usar os títulos públicos como uma poupança de longo prazo.

Para um objetivo com prazo de 20 anos, como pagar a faculdade do filho no valor de R$ 200 mil, seria necessário aplicar R$ 236,81 por mês em um título Tesouro IPCA+ 2035 (NTNB Principal) – considerando uma taxa de rentabilidade 6,57% a.a. e uma inflação de 4,5% ao ano.

Aplicações de longo prazo

É importante lembrar que estes títulos têm volatilidade e se o investidor optar por resgatar antes do prazo de vencimento pode até perder dinheiro. Por isso, este valor deve realmente servir para objetivos de longo prazo da criança.

Para aplicar é preciso cadastrar-se no site do Tesouro Direto e abrir uma conta em uma corretora de valores – ou usar a corretora do seu próprio banco.

O processo é simples e não toma muito tempo. Caso você já tenha conta em corretora, fica ainda mais fácil. E lembre-se: o Tesouro disponibiliza reinvestimento automático e compra programada. Estas funcionalidades devem ser utilizadas principalmente pelos investidores de longo prazo e que compram títulos periodicamente, como é o caso do leitor.

Ações

O assessor de investimentos Márcio Lima, da Way Investimentos, também disse que uma opção é comprar ações de empresas que pagam bons dividendos, pensando no longuíssimo prazo. “As altas e baixas da Bolsa não influenciam este plano”, afirma.

Se optar pela compra de ações vai ser necessário uma análise das empresas e das expectativas de dividendos. Neste caso, o ideal é buscar ajuda de especialistas ou seguir a recomendação de analistas das corretoras.

Fonte:uol